OS PERÍODOS DA CABALA

Os períodos ou fases pelos quais a Cabala passou em seu desenvolvimento estão limitados em espaços de tempo amplos. Cada uma dessas fases foi dominada por um grupo de cabalistas que criou uma abordagem da Cabala muito especial e única.

A Cabala é um ciência que se renova e evolui através do resgate do passado e da criação no presente. Quem estuda a Cabala extrai dos antigos mestres as bases que irão direcionar seu caminho, mas tem também a obrigação de ir um passo além daquilo que recebe.

As escolas cabalistas foram trazendo, através dos séculos, contribuições importantes ao ensino da Cabala, mas o saber cabalista, na sua essência, se manteve inalterado. Aqui não entenda o termo "escola" como um estabelecimento, mas como um grupo de seguidores.

O primeiro período da Cabala é conhecido como a fase na qual dominou a mística da "merkabah" e do "bereshit". O termo "merkabah" significa "carruagem" e "bereshit" significa "no princípio", é a primeira palavra do livro bíblico Gênesis. Essa escola deixou as bases para tudo o que veio depois. O primeiro cabalista teria sido Moisés, mas ele recebeu a Cabala já codificada.

Com duas correntes, os cabalistas do primeiro período dedicavam-se em primeiro lugar ao estudo do Talmud, o livro sagrado dos ensinamentos judaicos. Situa-se a influência dessa linha de estudos entre o século II antes de Cristo e o século XII da nossa era. O grande livro cabalista nessa fase, além do Talmud, é o Sepher Yetzirah, texto que todo estudioso de Cabala deve ler ainda hoje.

O segundo período da Cabala começa em torno do ano 1200 e se prolonga por apenas um século, indo até volta de 1300 da nossa era. Há nessa fase três importantes escolas. Uma acontece na Provença, no sul da França e as outras na Alemanha e na Espanha. Os mestres mais famosos dessas escolas são Azriel, Nahmanide, a família Kalonymos, Abulafia e Gikatila. A obra que representa o pensamento dessa escola é o Bahir, o Livro da Luz.

O terceiro período da Cabala começa no final do segundo e acontece de forma simultânea a ele, na Espanha. Esta fase corresponde ao surgimento de outro famoso livro cabalista, o Zohar, o Livro do Esplendor, que surgiu por volta de 1280-1300 através de Moisés de Léon. A renovação da Cabala provocada por essa obra foi intensa.

O quarto período da Cabala vai até o final do século XVII e está ligado a um período traumático da história judaica: a expulsão dos judeus da Espanha que aconteceu em 1492. Essa expulsão reuniu muitos mestres cabalistas que estavam dispersos pela Europa e deu origem à comunidade de Safed, um lugar abençoado no qual a Cabala floresceu através dos mestres Moisés Cordovero, Salomão Alkabets, Josef Caro, Isaac Louria, Chaim Vital.

Outra fase segue-se e deriva da anterior, é o período chamado de "hassidismo", que tem como expoente do pensamento Israel ben Eleazar, mais conhecido como Baal Chem Tov. A Cabala torna-se uma verdade aberta a todos e sua luz, que tinha sido reservada até então, pode brilhar de forma aberta e renovada.

Os períodos seguintes compreendem cabalistas inspirados e fora da linha judaica, que passaram a admitir cada vez mais a dimensão secreta da Cabala e que também a abriram para os não iniciados. Quando encontrar, leia as obras dessa fase, que passam os conhecimentos de Moisés Luzzatto, Cornelius von Agripa, Jacob Boehme, Robert Fludd, Paracelso e o mais atual Gershom Scholem.

Tudo o que se estuda hoje sobre Cabala deriva de uma das escolas citadas. Você vai encontrar quem ensine a Cabala pura do primeiro período à Cabala mais mística do século XIX. Mas todos precisam de uma base e vão encontrar nos antigos mestres e nos livros do passado o suporte teórico para os ensinamentos atuais.

Voltar

Copyright 2003 CELINA FIORAVANTI
Todos os direitos reservados.