KARMA

Agora que estou melhor e enquanto essa condição permanecer, tentarei apresentar alguns temas variados para leitura. Vou escolher temas que vocês me indicam nas mensagens que me enviam e que mostram ser de interesse para a evolução em geral. Tenho recebido muitas perguntas e pedidos sobre o tema do karma.

Já estudei muito sobre esse tema e até escrevi um livro da Coleção Espírita da Editora Pensamento intitulado KARMA: A ORIGEM DA DOR.

Há duas linhas importantes no estudo do karma: a linha oriental e a ocidental. A linha oriental busca mais o entendimento que a linha ocidental, que é mais voltada para a aceitação.

O ponto inicial para a manifestação de karma é sempre a ação, isto é, os atos são a causa do karma. Aliás karma quer dizer ação em sânscrito.

Karma não é uma coisa só, é um aglomerado de elos kármicos, gerados por muitas ações, desta e de outras vidas. É claro que são as ações destrutivas que geram elos de karma, as boas ações limpam karma e trazem a felicidade.

Há muitos níveis de ações negativas, isso é óbvio. Há ações negativas intencionais e não intencionais, por isso umas são menos danosas e geram menos karma que outras. Mas uma ação negativa completa sempre gera um elo kármico intenso.

Vamos ver melhor o que é isso de ação completa e incompleta.

O budismo é que ensina sobre isso. Uma ação completa tem quatro fases:

A primeira fase é a intenção, que é realizar um ato com a clara vontade de o fazer. Algumas pessoas ficam apenas na intenção e não concretizam o ato, por isso o que fazem é uma ação incompleta, mas ali já geraram um pouco de karma.

A segunda fase é o ato em si, é fazer aquilo que se intencionava. Mas a ação pode começar aqui, pulando a primeira fase, muitas vezes um ato acontece, mas a intenção de fazer não existe.

A terceira fase é o resultado da ação.

A quarta fase é a satisfação com o ato.

Vamos exemplificar com um dos piores atos que existe: tirar a vida.

Tenho a intenção de matar um animal e me preparo para ir à caça. Essa é a primeira fase. Uso uma espingarda e mato o animal, essa é a segunda fase. O animal efetivamente morre, é a terceira fase. Fico feliz com o troféu que vou levar para casa, essa é a quarta fase.

Esse exemplo mostra uma ação negativa completa.

É claro que o mesmo ato negativo pode ser incompleto, suprimindo alguma fase. 

Tenho a intenção, atiro, mas não acerto. Só houve a primeira e segunda fase.

Tenho a intenção, atiro e acerto, o animal morre mas não fico feliz, me arrependo. Há três fases do ato neste exemplo aqui.

Tenho a intenção, mas na hora perco a coragem de matar e desisto. Aqui há apenas uma fase.

Seja qual for a quantidade de fases do ato negativo, qualquer uma delas já gera karma. Portanto, um ato negativo completo é que vai gerar um elo kármico mais forte.

Ainda sobre matar, temos a questão de comer carne. Quem come carne geralmente não abate o animal, a primeira fase da ação está suprimida. Mas se pegar um animal e mandar abater, participa da primeira fase. Dessa forma, quanto menos se come carne, menos se cria karma. E algumas ações positivas, como evitar matar animais inutilmente ou cuidar de animais alivia muito o comer carne de animais mortos. Há também o fato de que tudo na criação divina cumpre seu papel e os animais, embora sofram no abate, entregam seu corpo como doação. Os mestres budistas indicam que entre o abate e a nossa mesa devem existir pelo menos três agentes intermediários para que o alimento com carne chegue ao nosso prato. Essa é uma questão complicada, pois há uma avaliação médica que diz que precisamos da carne, pois somos animais carnívoros. 

Um exercício: relembre cinco atos negativos seus e estabeleça se foram completos ou incompletos. Aí poderá perceber quais deles geraram um karma mais pesado que os outros.

Outro exercício: quando for fazer algo, avalie se vai gerar karma ou não.

Vou continuar com esse tema mais um pouco, os próximos textos vão falar de karma. Não vou ficar só em teoria, por isso, se quiser ter alívio de karma, siga meus textos e faça o que vou sugerir. Com certeza não vai ficar livre do seu karma como um todo, mas vai ter uma melhor condição de viver os seus elos com consciência e ter mais paz interior.

Voltar

Copyright 2003 CELINA FIORAVANTI
Todos os direitos reservados.